Minha experiência com os Ribeirinhos da Amazônia

ribeirinhos

Graça e paz amados! Quero antes de tudo agradecer ao meu Senhor e Mestre Jesus Cristo por ter proporcionado a mim e aos pastores que participaram desta experiência, pela oportunidade que Ele nos deu para viver momentos tão importantes em nossa vida como foram esses que vivemos.

Também agradeço a minha igreja, PIB do Rocha, pela visão ao me enviar para conhecer mais de perto como vivem os ribeirinhos e as necessidades que eles passam diariamente esquecidos pelo governo e abandonados em um mundo que nem imaginávamos existir dentro do nosso Brasil.

Fomos em uma caravana da Junta de Missões Nacionais juntamente com mais 30 pastores além de uma dentista e um protético que muito nos abençoaram naquele lugar. Foi uma experiência sem igual.

Desde a nossa saída daqui sentimos quantas dificuldades enfrentamos.

Satanás não queria que fossemos parar entre os ribeirinhos pois ele sabia que estaríamos levando palavras de paz, alegria, conforto e salvação a pessoas carentes da graça e do amor de Jesus. Para começar, nosso voo que estava marcado para 07:00 da manhã no aeroporto Santos Dumont foi transferido para o aeroporto do Galeão e só conseguimos sair as 11:30h. Com a diferença do fuso horário, chegamos em Manaus as 15:30 h e fomos almoçar as 16:10 minutos. Tudo prova de fé.

A noite fomos para o barco que se tornou nosso alojamento. Ali almoçamos, jantamos, dormimos e pela manhã e noite (depois que chegávamos dos cultos entre os ribeirinhos), participamos do Congresso missionário navegando pelas águas do Rio Negro e Solimões. A tarde realizamos evangelismo e a noite, cultos nas comunidades. Foram momentos impactantes que jamais esquecerei.

Contamos com a presença no barco, entre outros, do Pr Vanderlei Marins (Presidente da Convenção Batista Brasileira e Fluminense), do Pr Eber Silva (Presidente da Ordem dos Pastores Batistas do Brasil), do Pr Fernando Brandão (Secretário Geral da Junta de Missões Mundiais) além de outros grandes líderes denominacionais que não daria para citar todos aqui.

Entre as pessoas que se decidiram nos cultos e nos evangelismos pessoais tivemos mais de 100 decisões por Cristo. Várias pessoas se reconciliaram com o Senhor e decidiram voltar ao convívio da igreja, além de outras diversas que participaram pela primeira vez de um culto evangélico e prometeram voltar em outras oportunidades.

Lá vimos a carência das pessoas que vivem durante 6 meses com água dentro de casa e já se acostumaram com isso. Faltam médicos, professores, alimentos são precários, a água eles tiram do rio para beber sem ser filtrada e não há uma expectativa de um futuro melhor para os ribeirinhos, que são marginalizados pela sociedade e vivem isolados em seu mundo aguardando ajuda de quem chega até lá. Pudemos levar em nossas bagagens para doação: balas, doces, roupas, calçados, violão, canetas entre outros. A dentista fez aproximadamente 120 atendimentos entre eles.

No próximo informativo estarei falando mais um pouco sobre essa semana vivida ali entre os ribeirinhos, que foi de uma significância extraordinária não apenas para mim, mas para todos que ali pudemos passar aqueles dias. Até a próxima.

Do seu Pastor
Lusitano Couto

Author: adm0152

Compartilhe!