Juventude #EUmeIMPORTO

eu-me-importo2

A Juventude é a fase áurea da vida. Com ela temos a força que está descrita na própria palavra de Deus (I Jo 2:14) e também a responsabilidade de sermos fiéis, compreendendo que tudo o que fizermos daremos conta perante o Senhor (Ec 11:9). Que responsabilidade!

Entendemos que a dificuldade de ser jovem foi vivida por todos e em todas as gerações. No entanto, quando observamos a contemporaneidade, vislumbramos uma sociedade penosa de ser superada como jovem cristão; tão cheia de atrativos aos nossos olhos.

Diariamente é instituído em nós uma ansiedade e imediatismo constantes através da internet, forma que adquirimos de estarmos ligados a tudo constantemente, muitas vezes, portanto, com essa “evolução” – o que é questionável – deixamos de ser e obtemos momentos de ilusão, registrados através da câmera de um celular em redes sociais, para demonstrar aos outros uma “vida perfeita”, a qual não existe e jamais existirá.

Há exatos cinco anos é a minha caminhada na liderança da juventude. É o meu grande amor, o que faz o meu coração bater mais forte.

Lembro-me ainda do dia em que orei e prometi ao Senhor que dedicaria os meus melhores dias a Ele, de maior força, os dias da minha juventude.

Sei que chegará o dia que vou querer fazer tudo o que hoje faço, mas os impedimentos da vida não me permitirão assim fazer. Não quero ter esse arrependimento em meu coração e consciência, que o meu pecado não seja omissão.

Na direção dessa oração feita, tento conduzir minha caminhada guiada pelas orientações do Senhor. Entendendo também que é maravilhoso começar um trabalho desafiador, mas ter sabedoria para saber o tempo que o nosso ministério se encerra é divino. Assim, encerro este ano.

Coloquei o meu coração e toda a minha força na Juventude da Primeira Igreja Batista do Rocha, também o meu tempo, que, na maioria das vezes, é completamente comprometido, fiz incontáveis visitas, muitas vezes me coloquei financeiramente, dobrei os meus joelhos pelos jovens e eles sempre estiveram em minhas orações diárias (e sempre estarão), supliquei a Deus que Ele concedesse fidelidade diária para que eles sempre se lembrem do Senhor no seu primeiro momento, ao amanhecer; eu me doei por completo. Esmerei-me para alcançar a muitos, inúmeras vezes sem sucesso. Então compreendi que o segredo não está na colheita e, sim, no plantio – vejamos os resultados ou não. Além disso, errei consideráveis vezes, excedi, percebi que sou um ser humano e que a perfeição está bem distante de mim. No entanto, sempre tive por objetivo cumprir a vontade de Deus. Também, fui julgada, “engoli sapos”, recebi infinitas críticas, mas qual líder não passa por isso? Afinal, árvore que dá fruto sempre vai levar pedrada.
Por fim, preparei pessoas, entendi o meu tempo e sei que novas pessoas precisam ser levantadas, oportunidade dada, visões aprimoradas.

A experiência com a Juventude me fez outra; amadureci, precisei aprender a lidar com gente; com gente diferente de mim, que sente e pensa opostamente, e até lidei com gente que, simplesmente, não se importa. Quanto aprendizado!

Em seu poema “Resíduos”, Carlos Drummond de Andrade diz que “de tudo fica um pouco”. Da juventude ficará “um montão” em meu coração e em minhas recordações. Foi um tempo singular. Um tempo rico e inesquecível!

Agradeço ao Senhor por cada experiência. Se eu pudesse opinar sobre o que é mais fantástico na vida, eu diria que é “essa coisa” chamada relacionamento entre pessoas. Deus foi sublime ao nos dar algo que nos move, verdade que as vezes faz nossas emoções de capacho, nos faz reféns, mas o que construímos é extraordinário. Relacionamento é amar o outro. E só pode amar quem tem o fôlego da vida.

Quando observamos a trajetória de Jesus, percebemos que Ele nos advertiu incessantemente sobre as aflições que teríamos nesse mundo, sobre a necessidade de amá-lo sobre todas as coisas e também ao próximo como a nós mesmos – divisa de nosso congresso.

Amar a nós mesmos não é difícil quando sabemos que somos o reflexo de uma humanidade egocêntrica, que só dispõe dos seus próprios interesses. Mas, quando o desafio é amar ao próximo, não de qualquer modo, porém, como a mim mesmo, o desafio se torna uma muralha a ser transportada. Esse foi o maior desafio que Cristo poderia ter nos deixado; lei áurea contida em sua palavra.

Que hoje seja uma oportunidade única, não a deixe passar, Juventude! Ame ao Senhor sobre todas as coisas e também ao seu próximo como a si mesmo, com obras e com fé. O tempo é hoje e o momento é o AGORA.

Com amor profundo, aos jovens atuais e aos que compartilharam em algum momento dos anos de 2012, 2013, 2014, 2015 e 2016 da Juventude da Primeira Igreja Batista do Rocha.

Elaine de Castro Sampaio
Líder da Juventude

Author: adm0152

Compartilhe!