Que Resposta Você Está Pronto a Dar a Sociedade Diante das Situações que Vivenciamos?

“Se formos atirados na fornalha em chamas, o Deus a quem prestamos culto pode livrar-nos, e ele nos livrará das suas mãos, ó rei” (Daniel 3:17)

Graça e Paz, queridos.

Diariamente, somos confrontados sobre a postura, nosso modo de vida ao escolher vivermos segundo os ensinamentos de Cristo Jesus. E, quando este confronto se apresenta diante de nós, qual a resposta que damos? Somos fortes e corajosos ou omissos e covardes?

A Bíblia sagrada, narra a história de um homem chamado Daniel. Ele era de linhagem nobre, pertencia a realeza de Israel (Dn 1:3), que juntamente com outros nobres de Israel (Hananias, Misael e Azarias), foram levados cativos pelo Rei Nabucodonozor, da Babilônia.

Durante os três anos do cativeiro, Daniel aprendeu sobre a língua e a cultura da Babilônia, sendo ainda treinado para exercer funções no governo. Mas Daniel não se esqueceu de Deus. Todavia, em vez de se contaminar com a porção do manjar do rei (Dn.1:8), ele e seus amigos, levaram o despenseiro a dar-lhes a comer apenas legumes e a beber água, como resultado, Deus abençoou Daniel por sua fidelidade e ele se tornou mais saudável que os outros jovens (Dn 1:15-16).

Como recompensa pela fidelidade a Deus, foi concedido aos amigos de Daniel, “… sabedoria e inteligência para conhecerem todos os aspectos da cultura e da ciência. E a Daniel, o dom de interpretar todo tipo de visões e sonhos” (Dn 1:17)
Mas, porque Deus capacitou Daniel e seus amigos Hananias, Misael e Azarias, fazendo-os passar por um período de treinamento? Com certeza, a recusa em comer da comida e manjar do rei Nabucodonozor, não seria a tarefa mais difícil que Daniel e seus amigos, iriam experimentar, no cativeiro.

Deus também age conosco assim, nos experimenta em situações pequenas, comuns, para testar nossa fé diante d’Ele, na expectativa de que, seremos capazes de grandes desafios. Temos o exemplo de Davi, que na sua mocidade, já enfrentava leões, antes de enfrentar um gigante assassino.

Vencido o primeiro desafio de Daniel e seus amigos, eles se depararam com o maior desafio de suas vidas, qual fora, o de negar a fé no Deus Todo Poderoso, prostrando-se e adorando aos deuses do rei babilônico ou serem lançados no forno de fogo ardente (Dn 3:15).

Confrontado diante de novo e terrível desafio, Daniel e seus amigos, deram ao rei a resposta mais corajosa e ousada que o rei poderia ouvir de alguém cativo de seu reinado. “Mas, se ele não nos livrar, saiba, ó rei, que não prestaremos culto aos seus deuses nem adoraremos a imagem de ouro que mandaste erguer” (Dn 3:18).

Diante daquela resposta, e tomado de fúria, o rei mandou lançar Daniel e seus amigos, no forno ardente, mas, o mesmo Deus que os livrou da morte, quando sitiada a cidade de Israel, que os manteve fortes e nutridos, que os capacitou com o dom da sabedoria, ciência e revelação, os livrou da morte (Dn 3:23-26).

O resultado da resposta corajosa de Daniel e seus amigos, perante a sociedade, as autoridades e ao próprio rei Nabucodonozor, fez que o rei, publicasse um decreto, reconhecendo que não havia outro Deus, senão o Deus de Daniel, capaz de livrar alguém da fornalha ardente (Dn 3:29-30).

Queridos, vivemos hoje, numa sociedade, onde somos desafiados terrivelmente todos os dias, a negar nossa fé em Deus, a nos contaminar com manjares deste mundo. Mas será que, como Daniel, Hananias, Misael, e Azarias, estaremos dispostos a confiar em Deus e assentar em nosso coração a fé para resistir aos desafios futuros?

Como diz o título que abre a leitura deste artigo, que resposta você e eu, temos dado a sociedade, aos amigos, aos parentes, aos nossos chefes, quando confrontados somos acerca da escolha que fizemos (rejeitar o mundo e seus manjares) ao seguir o Senhor Deus?

Que resposta temos dado ao pecado, a corrupção, a malícia, a mentira? Paulo, escrevendo ao Romanos, adverte-nos, que nenhuma condenação há, para os que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o Espírito (Rm 8:1).

Será que o Senhor nos dará graça e misericórdia como fez a Daniel (Dn 1:9), ou nossa resposta será de acomodação e covardia, como a do apóstolo Pedro, que quando confrontado pelo povo se era um deles, negou por três vezes conhecer a Cristo? (Mc 14:66-68).

Por fim, a Igreja de Cristo, precisa revestir-se da armadura do Espírito Santo, do conhecimento da Palavra, que traz vida, paz e salvação ao pecador. Precisamos nos alimentar como Daniel, para desafios presentes e futuros, que hão de vir sobre a Igreja, para que a nossa resposta enquanto porta-vozes da esperança, seja firme e segura n’Aquele que nos amou primeiro (I Jo 4:19).


Marcus Vinicius B. da Silva
Dpto. Evangelismo da PIBR

Author: adm0152

Compartilhe!