Essa Nossa História – Abreu e Lima

Por Mauro Santos

Nesse terceiro texto, seguiremos analisando a relação da história do Brasil e o fundo histórico do Movimento Batista em nossa terra.

“Desde a sua organização, em 1816, a Sociedade Bíblica Americana mandou aos negociantes estrangeiros nas maiores cidades do Brasil exemplares da Bíblia para distribuição entre o povo. Nomeou-se uma comissão especial para estabelecer contato com capitães de navios e negociantes para que a distribuição da Palavra de Deus fosse feita com máximo proveito. Esse serviço das sociedades preparou o ambiente para os primeiros missionários evangélicos. Com a vinda destes, em 1836, aumentou-se o serviço das sociedades bíblicas na distribuição das Escrituras. Mais tarde,(…) um bom número de colportores, (…) se desenvolveram em pregadores eficientes do evangelho.”

Nos anos seguintes, destaca-se um importante personagem da história de libertação da América Espanhola – o brasileiro Abreu e Lima – militar, que participou diretamente das lutas de libertação na Venezuela, Colômbia, Equador e Bolívia. Após regressar a Pernambuco, sua terra, a partir de 1840 o faz como político, jornalista e escritor, participando indireta e intelectualmente na Revolução Praieira em Pernambuco, ao escrever textos de cunho liberal.

Abreu e Lima “era conhecedor dos princípios evangélicos e imbuído do espírito de liberdade religiosa.” Por suas ações militares libertadoras, e por elas famoso em Pernambuco como o “general do povo, começou a distribuir literatura evangélica entre seus amigos e conhecidos. Essa ousadia (…) foi repelida pelo Cônego Pinto de Campos” autoridade católica local, que procura contestar o teor dos escritos evangélicos e liberais de Abreu e Lima, escrevendo colunas no Jornal do Recife. Da divergência prolongada e calorosa entre ambos, o General publicou em 1867, dois livros: Bíblias Falsificadas, ou Duas Respostas ao Sr. Cônego Joaquim Pinto de Campos, pelo Cristão Velho e O Deus dos judeus e o Deus dos cristãos. Terceira resposta ao Sr. Cônego Joaquim Pinto de Campos pelo Cristão Velho, sendo que o primeiro foi tão importante ao lado do Evangelho que foi incluído no Index Liborum Prohibitorum, índice de obras cuja leitura era proibida pela Igreja Católica.

“A semente espalhada pelo General Abreu e Lima caiu em boa terra para brotar e dar bom fruto mais tarde. Preparou ambiente favorável à pregação do evangelho e despertou o povo para pesquisar a verdade. Pela leitura da Bíblia, alguns chegaram a compreender e aceitar o evangelho e outros, despertados na consciência, aguardavam a vinda de quem lhes expusesse com mais precisão o caminho de Deus”. 

Bibliografia:

CCRABTREE, A.R. – História dos Batistas no Brasil, vol 1, cap I, p. 45, 46 e 47, 2ª ed., 1962, Casa Publicadora Batista.

https://www.ebiografia.com/abreu_e_lima/

Author: adm0152

Compartilhe!