A influência da Igreja na História

igreja-historia

É de conhecimento geral que a origem objetiva da Igreja Protestante é proveniente da Igreja Católica, que é um dos maiores centros de poder religioso e político desde a antiguidade, com foco no período da Idade Média, até os dias atuais. Basicamente, esta ramificação, por assim dizer, se deu através do monge Martinho Lutero ao iniciar a Reforma Protestante no século XVI.

Todavia, a Igreja Batista acabou fugindo dessa divisão dicotômica, surgindo como um exemplo de peculiaridade. Crentes dessa denominação existem de forma anterior ao período da Reforma supramencionada, mas com a designação de “batistas”, existem desde 1612, quando Thomas Helwys ao regressar da Holanda, onde se refugiara da perseguição do Rei James I da Inglaterra, organizou com os que voltaram com ele, uma igreja em Spitalfields, nos arredores de Londres.

Apenas em 1882 foi criada, por imigrantes norte-americanos, a Primeira Igreja Batista voltada para a evangelização do Brasil, a PIB do Brasil, instalada em Salvador, e com cerca de 25 anos de trabalho, já haviam sido organizadas mais 83 igrejas com aproximadamente 4.200 membros. Vale ressaltar a existência prévia de mais duas igrejas batistas importantes: Primeira Igreja Batista de Providence em 1639, e a Igreja Batista de Newport em 1648, ambas em Rhode Island, estado dos EUA.

Em 22 de junho de 1907, foi criada a Convenção Batista Brasileira, ativa até os dias atuais, que possui como dois de seus focos os trabalhos missionários e os ensinos religiosos e seculares, inclusive com a fundação de colégios batistas em cidades como São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte.

Em 1791, foi criada a Sociedade de Missões no Estrangeiro, que tem tido uma participação muito grande na expansão da obra Batista na Ásia e África, além de outros continentes e, inclusive, no Brasil. Por conta destes trabalhos, atualmente os batistas encontram-se em cerca de 200 países e representam uma população com cerca de quarenta milhões de membros, e atingem uma média de cem milhões de pessoas no mundo inteiro, conforme dados do site da Convenção Batista Brasileira.

Apesar dessa corrente singular, a ruptura do protestantismo a partir da Igreja Católica não produziu apenas essa única divisão. Da difusão do protestantismo, surgiram ou se expandiram novas doutrinas como os próprios luteranos, que preferiam serem chamados de evangélicos (1517), os presbiterianos (século XVI), os anglicanos (1534), os metodistas (século XVIII), os pentecostais (início do século XX), os neopentecostais (final do século XX) dentre outras, que assim como os batistas, trouxeram contribuições históricas religiosas e culturais extremamente ricas.

Relatar tais pontos característicos de cada corrente doutrinária citada anteriormente poderia resultar em uma tese de doutorado, mas de uma forma direta, a própria Bíblia nos ensina qual é o verdadeiro papel da Igreja: realizar o “ide” (Mc 16:15). Os atos praticados em consequência à obediência desse mandamento é que marcarão a nossa trajetória neste mundo. “Religião” nunca foi plano de Deus, muito menos a individualidade provocada pelo esmiuçamento das doutrinas, entretanto ocorreram e continuam ocorrendo infelizmente.

Apesar disso, nunca deve-se perder de vista o real plano do Senhor para a vida de sua Igreja: que a Igreja O ame, obedeça a Seus mandamentos, arrebanhe, em amor, aos que estão perdidos e, principalmente, que aguarde Seu retorno.

Marta Raquel de Paula Santos

 

Author: adm0152

Compartilhe!